O que é Cacheback? Veja o Lado8 dessa prática de Marketing.

As empresas de cashback como a Méliuz e Beblu são empresas que se associam a grandes sites de vendas on-line, agora empresas físicas como supermercados e outros para devolver um percentual do valor da compra para o cliente. Esse modelo de negócio se chama cashback.

Até aí a idéia é bem legal, eu como cliente vou comprar no supermercado “Patotinha” porque eles se associaram a empresa de cashback que tenho uma conta e vou economizar 5% porque eles vão devolver esse percentual do valor da compra pra mim. Esse é o pensamento que essas empresas passam, vantagens para o consumidor. Mas…. será que é isso que acontece na prática?

Vamos descobrir o lado8 desse mercado do marketing digital mais detidamente no modelo de cashback.

Fiz esse post porque o Lado8 procura trazer uma outra interpretação do mercado que a Méliuz, Beblue e outras de cashback fomenta.

Veja o LADO8 desse episódio cashback: Uma empresa que vende passagens aéreas faz um acordo comercial com quem faz cashback e essa através de sua plataforma oferece ao cliente 5% da grana de volta ao consumidor. Até ai lindo! Essa empresa de cashback também cobra pelo seu trabalho mais 5% dessa empresa que vende passagens aéreas. Uma pequena verba de marketing quando se trata de uma empresa do mesmo nicho. Quando tem várias do mesmo nicho, além de aumentar a penetração da empresa de cashback ela faz um único esforço para todas as empresas mas…. até ai ainda está tudo bem.

Agora o pior caso é onde vamos parar… e o lado8 vai revelar essa visão que poucos param pra analisar e que faz muito sentido.

Se temos 10 empresas que vendem passagens aéreas no Brasil 9 são afiliadas as empresas de cashback quem pode oferecer maior vantagem para o cliente? O ladoB infere que seria a única empresa que não paga 10% para as empresas de cashback (5% para o consumidor e 5% para as empresas de cashback). Essa única pode oferecer um desconto de 6%, o que atende diretamente ao interesse do consumidor e ainda maximiza seu lucro em mais 4% em relação as outras empresas que vendem passagens aéreas.

Após analisar diversos sites, nós do lado8 comprovamos que isso já ocorre nas empresas de venda on-line e em alguns mercados das empresas que vendem offline (supermercados físicos como verde mar e super nosso).

Esse cenário é tão verdade que até as empresas que estão associadas as de cashback quando essas não vem pelo marketing das de cashback elas oferecem um desconto maior para o consumidor. Então esse cenário acontece inclusive dentro da própria empresa.

Só que a empresas de cashback não vende só pra essa empresa ela busca outras pra aumentar seu mercado, como toda empresa visa LUCRO. Quando faz isso e chega a ter acordo com 90% das empresas que vendem passagem aérea é claro que pra essas empresas fomentarem o mercado elas vão aumentar seus preços e “dar” 5% de cacheback para o cliente mais 5% para a “empresa de marketing cashback” divulgar certo? ou eles vão ficar no prejuízo com mais um elemento na cadeia comendo uma bela fatia de 10%?

Quando ocorre isso as empresas de passagens aéreas afiliadas a essas de marketing de cashback passam a vender mais caro do que as não afiliadas. Eu tenho observado isso e tenho comprovado essa realidade e só procuro preços mais baratos, sempre encontro quando não ligo os aplicativos que lembram de ativar a “grana de volta” porque até mesmo as empresas associadas a eles só dão descontos se não forem indicados pelas mesmas.

Seria leal a própria empresa de venda de passagens aéreas oferecer diretamente ao cliente o desconto, porém ela teria que investir em marketing com menor escalabilidade.

Enfim, pensem isso. Esse é o lado8 do cacheback no Brasil.

Deixe um comentário